Click Macaé
ClickMacaé.com.br
ClickMacaé.com.br

» A Bacia de Campos

» O Cenário Offshore

» Petróleo e Gás

» Empregos

» Cursos> Fornecedores Offshore> Shopping

» Informações> História do Petróleo> A História no Brasil> A Atividade Offshore no Brasil> As Crises do Petróleo> As Plataformas da Bacia de Campos> A Bacia de Campos em Números> As Reservas da Petrobras> Lei do Petróleo> Licenciamento Ambiental> Marco Regulatório> Petrobras no mundo> Pré-sal> Sobre o Petróleo> Sobre o Gás

» Empregos> Buscar Profissionais para Minha Empresa> Buscar Vaga de Emprego na Área

» Glossário> Terminologia Naval> Terminologia Offshore> Terminologia Offshore Comercial> Glossário e Abreviações

Sampling Treinamentos Curso 24 Horas

Shell planeja investir US$ 1 bi ao ano em energia limpa até 2020

11 de julho de 2017

A Royal Dutch Shell planeja investir até US$ 1 bilhão por ano em sua divisão de novas energias em meio à aceleração da transição para as energias renováveis e para os carros elétricos.

“Em algumas partes do mundo estamos começando a ver carros elétricos movidos a bateria começando a ganhar a aceitação do consumidor”, enquanto os custos das energias eólica e solar estão caindo rapidamente, disse o diretor executivo da Shell, Ben Van Beurden, em discurso, em Istambul, na segunda-feira, 10/07.

“Tudo isso é uma boa notícia para o mundo e precisa acelerar”, e ainda oferece oportunidades para produtoras de combustíveis fósseis, acrescentou o executivo.

A Shell vê oportunidades nas células de combustíveis de hidrogênio, no gás natural liquefeito e na próxima geração de biocombustíveis para o transporte aéreo, para a navegação e para cargas pesadas — áreas de transporte para as quais as baterias são inadequadas.

Devido à natureza intermitente das energias eólica e solar, as usinas de energia movidas a gás natural terão importância a longo prazo, explicou Van Beurden.

DÚVIDAS SOBRE O NEGÓCIO

O executivo discursou no Congresso Mundial do Petróleo — uma reunião de ministros e diretores executivos de alguns dos maiores produtores de petróleo — em um momento em que a aceleração da transição para a energia limpa levanta dúvidas sobre seus modelos de negócio a longo prazo.

Enquanto o ministro da Energia russo, Alexander Novak, e o chefe da petroleira estatal saudita Saudi Arabian Oil Company (Aramco), Amin Nasser, disseram que o petróleo e o gás serão dominantes nas próximas décadas; Van Beurden destacou a possibilidade de que alguns dos países de mais rápido crescimento passem diretamente para uma matriz energética mais limpa.

“Ao considerar as áreas do mundo nas quais a demanda energética ainda está por expandir-se, como a Ásia e a África subsaariana, nota-se uma grande oportunidade”, observou Van Beurden. “Estas são áreas que não estão, no geral, presas a um sistema movido pelo carvão. Existe o potencial de que passem mais diretamente a um caminho para o desenvolvimento com menos uso de energia.”

Para o executivo da Shell, muitas vezes há um foco exagerado nas políticas de transição energética na Europa e na América do Norte e não nas do mundo em desenvolvimento, que cresce rapidamente.

“O que acontece na Inglaterra é importante, mas o que acontece na Etiópia é pelo menos tão importante quanto. Da Dinamarca à República Democrática do Congo, dos EUA a Uganda, à Índia e à China, há muito trabalho a fazer.”

Esses países ainda precisarão de combustíveis fósseis para desenvolver indústrias como as de aço, cimento e produtos químicos, porque necessitam de uma intensidade de calor que não se consegue apenas com eletricidade, avaliou ele.

Fonte: Bloomberg News

Últimas Notícias
» Vaga, no Click Macaé, para instrutor de EAD de Extensão para Técnicas em Gestão de Almoxarifado
» Vaga, no Click Macaé, para instrutor de EAD de Extensão para Logística e Cadeia de Suprimentos
» Palestra gratuita sobre as novas regras trabalhistas acontecerá em Macaé
» Treinamentos petróleo e gás online, com descontos de 40%, na semana black friday, até sexta, 24/11
» Sauditas pressionam para prorrogar por 9 meses acordo de cortes da Opep, dizem fontes
» EAS terá de quitar dívida de R$ 1 bi em dois anos
» Petróleo: o panorama da semana de 20 a 24 de novembro
» EAS em busca dos contratos de plataformas
» Participação do Rio na produção nacional de petróleo cai de 80% para 67,5%
» Treinamentos de alta performance para gestão de negócios, e empregabilidade, é especialidade do Click Macaé
veja mais notícias »

Fornecedores
Fornecedores - Para consultar ou anunciar, clique aqui, de R$240,00 por apenas R$99,90 ao ano, e disponibilize informações sobre seus produtos e serviços para o maior mercado de Petróleo e Gas do país: a Bacia de Campos.

Siga as últimas novidades do ClickMacaé diretamente no TwitterSiga as últimas novidades do ClickMacaé diretamente no Twitter.


Curta nossa página no Facebook

Política de Privacidade | Privacy policy | Publicidade | ContatoDesenvolvido pela SYS Computing