Click Macaé
ClickMacaé.com.br
ClickMacaé.com.br

» A Bacia de Campos

» O Cenário Offshore

» Petróleo e Gás

» Empregos

» Cursos> Fornecedores Offshore> Shopping

» Informações> História do Petróleo> A História no Brasil> A Atividade Offshore no Brasil> As Crises do Petróleo> As Plataformas da Bacia de Campos> A Bacia de Campos em Números> As Reservas da Petrobras> Lei do Petróleo> Licenciamento Ambiental> Marco Regulatório> Petrobras no mundo> Pré-sal> Sobre o Petróleo> Sobre o Gás

» Empregos> Buscar Profissionais para Minha Empresa> Buscar Vaga de Emprego na Área

» Glossário> Terminologia Naval> Terminologia Offshore> Terminologia Offshore Comercial> Glossário e Abreviações

Sampling Treinamentos Curso 24 Horas

Na disputa entre águas profundas e 'shale', Shell se garante com ambos

21 de fevereiro de 2018

A Royal Dutch Shell vai expandir a produção em águas profundas e obter lucro de sua produção de "shale" nos próximos anos, ao passo que ambos juntos ajudarão a petroleira a lidar com um mundo de baixos preços do petróleo, disse o chefe de produção de petróleo e gás da companhia nesta terça-feira.

A produção em águas profundas da Shell no Brasil, Nigéria e Golfo do México é muito maior e mais rentável, mas a empresa vê o "shale" em terra dos EUA, um tipo não convencional de óleo e gás, ágil e de rápido retorno, como um motor para crescimento.

"Nós podemos ver forte crescimento na produção (de shale), forte superávit financeiro que nos dá um equilíbrio em nosso portfólio onde podemos aumentar e reduzir investimentos, você pode moderar isso, muito diferente do que em águas profundas, que é bastante volumoso", disse Andy Brown à Reuters em uma entrevista, nos bastidores da conferência IP Week.

"Eles ficam bem juntos em um portfólio".

Agora, grandes projetos de águas profundas e campos de "shale" menores competem pelo capital rigidamente controlado da Shell e poderiam gerar lucro com petróleo em níveis de preços tão baixos quanto 40 dólares o barril, disse Brown.

O contrato de referência Brent está agora operando em cerca de 65 dólares por barril, ante níveis abaixo de 30 dólares no início de 2016.

Após a aquisição de 54 bilhões de dólares pela Shell do BG Group em 2016, a companhia anglo-holandesa se tornou uma grande player em águas profundas.

A Shell é a segunda maior produtora de petróleo no Brasil depois da Petrobras.

Fonte: Reuters

Últimas Notícias
» Ibama libera FPSO de Tartaruga Verde. Unidade será a terceira a produzir no ano
» Projeto do pré-sal favorece Petrobras
» Opep decide aumentar produção em 1 milhão de barris diários
» Pré-sal: Ibama emite licença para exploração de petróleo em Tartaruga
» FIRJAN lança publicação ‘Ambiente onshore de petróleo e gás no Brasil 2018’
» Apresentação do Repensar Macaé supera expectativa
» Em Macaé, novidades atraem público à Feira de Responsabilidade Social
» O que petroleiras, Abimaq, e ONGs querem mudar na oferta permanente
» Macaé - Termina dia 30 prazo para refinanciamento de dívidas
» Redução de royalties poderá beneficiar 60% dos ativos à venda da Petrobras
veja mais notícias »

Fornecedores
Fornecedores - Para consultar ou anunciar, clique aqui, de R$240,00 por apenas R$99,90 ao ano, e disponibilize informações sobre seus produtos e serviços para o maior mercado de Petróleo e Gas do país: a Bacia de Campos.

Siga as últimas novidades do ClickMacaé diretamente no TwitterSiga as últimas novidades do ClickMacaé diretamente no Twitter.


Curta nossa página no Facebook

Política de Privacidade | Privacy policy | Publicidade | ContatoDesenvolvido pela SYS Computing