Carreira & Mercado de Trabalho

Sete coisas que seu chefe adora ver você fazendo

1) Assumir suas ideias

Na HubSpot, demitimos os nossos melhores funcionários. (Não, não foi um erro de digitação.)

Se você tem uma grande ideia e consegue provar que ela realmente pode ser concretizada, vai ser demitido do seu trabalho para assumir a responsabilidade por essa ideia e fazê-la acontecer.

Veja o caso do VP de vendas da HubSpot, Pete Caputa.

"Em 2008, um dos nossos representantes de vendas me procurou com uma ideia que ele acreditava que poderia revolucionar a HubSpot", explicou o CEO da HubSpot, Brian Halligan em uma entrevista com a Inc.

"Naquela época, vendíamos nosso software diretamente aos consumidores. Mas o representante Pete Caputa achava que a HubSpot precisava ter um canal de revenda para expandir o modelo de negócio. Basicamente, ele queria vender nosso produto principal para terceiros, que por sua vez venderiam para seus clientes."

Halligan estava longe de comprar essa ideia, mas decidiu dar uma oportunidade para Caputa provar que ela era exequível.

"Se você quer mesmo fazer isso, comece a trabalhar durante a noite e nos fins de semana para nos mostrar como a sua ideia vai funcionar”, conta.

Pouco tempo depois de ter aceito o desafio, Caputa foi de fato demitido para ser alocado em uma posição em que desenvolveria o programa parceiro.

Sendo assim, não tenha medo de dar novas ideias. Esse é o tipo de comportamento que os chefes adoram ver, pois exemplifica a sua capacidade de pensar sobre a empresa em um patamar elevado.

Embora seja fácil resolver os problemas que pertencem exclusivamente a você e seus subordinados, o objetivo é identificar e resolver aqueles que influenciam o grande esquema das coisas. Pense como um fundador da empresa, seu chefe vai notar.
2) Apoiar seus colegas

Dependendo do seu setor de atuação, às vezes surgem situações em que você fica como cachorro correndo atrás do próprio rabo.

E embora exista a crença de que “os últimos serão os primeiros”, na verdade essa é uma ótima oportunidade de ajudar as outras pessoas e crescer pessoalmente. Sem contar que se o seu chefe pegar você em ação, suas habilidades de ser prestativo serão ainda mais destacadas. Essa é uma característica muito apreciada pela maioria dos chefes.

Não é apenas eu quem diz isso. Leia o que Adam Grant, autor de Give and Take: A Revolutionary Approach to Success tem a dizer:

    Quanto mais eu ajudo, mais sucesso tenho. Mas eu meço o meu sucesso com base no que ele fez para as pessoas ao meu redor. Esse é o melhor prêmio.

Nesse livro, Grant explora a ideia de que as pessoas podem ser divididas em três categorias no trabalho: as que recebem, as que trocam e as que doam. As pessoas que recebem são aquelas que, bem, recebem das demais, enquanto as que trocam fazem acordos em que ambos os lados saem ganhando. E as que doam? Essas se sobressaem por fazer o bem sem a expectativa da reciprocidade.

Grant vai adiante e dá exemplos de pessoas desse tipo que tiveram sucesso na História, como o presidente Abraham Lincoln, o economista David Hornik e o empresário Jon Huntsman.

Faça um favor a si mesmo e conheça as conquistas que esses três realizaram. Certamente você vai se inspirar e repensar os benefícios potenciais de dar uma mãozinha.
3) Medir o desempenho e criar relatórios

Um dia desses eu vi o ator Jake Gyllenhaal no supermercado.

Fiquei empolgado e queria contar para alguém, então mandei uma mensagem para a minha amiga, que respondeu: “Mande fotos, senão não aconteceu”.

Isso me fez pensar no nosso desejo inato de “ver para crer”. Se a minha amiga não acreditou no que vi sem uma evidência fotográfica, por que você espera que seu chefe vá acreditar na sua palavra quando o assunto for o seu desempenho?

A verdade é que a maioria dos chefes está ocupada, sem tempo para investigar se você está fazendo ou não o que deve. Se você não der voz (e imagens) ao seu desempenho, corre o risco de passar despercebido.

Por esta razão, os CEOs adoram ver seus funcionários medirem seus esforços e também documentá-los em relatórios. Relatórios claros, específicos e objetivos são uma das formas mais eficazes de comunicar seu progresso e provar ao seu chefe que você é capaz de assumir mais responsabilidades.

Com relação ao que incluir nos relatórios, pense em ROI. Apesar de as métricas de seu desempenho serem importantes para o seu chefe notar você, o que ele quer ver mesmo é como seus esforços estão afetando os resultados.

"Não basta informar o que você fez da sua lista de tarefas; diga quais foram as consequências das atividades que você realizou. É muito comum os jovens quererem provar que estão trabalhando. Sabemos que você está trabalhando. Podemos vê-lo e estamos orgulhosos de você por isso. Não é para você provar que está trabalhando, mas sim que o que você está FAZENDO está funcionando”, explica Meghan Anderson, da HubSpot.

Se você quer começar informando sobre suas atividades de marketing, pode usar este modelo gratuito.
4) Ser proativo, e não reativo

"Meus filhos aparecem com a boca toda suja de chocolate. Eu pergunto a eles “Vocês comeram chocolate?” E eles respondem que não, brinca Peter Bregman, autor de Four Seconds.

Isso é uma bobagem, mas um grande exemplo do quanto você parece bobo quando é reativo, em vez de proativo. Certamente você não quer passar por isso com seu chefe, não é?

De uma perspectiva psicológica, reagimos para evitar a punição. É um resultado direto da estimulação de nossas amígdalas cerebrais diante de situações em que somos pegos de surpresa ou desprevenidos.

Apesar de não ser realista supor que você nunca vai precisar tomar uma decisão rápida na frente de seu chefe, os funcionários proativos conseguem controlar situações ao fazer com que as coisas aconteçam em vez de esperar para responder depois que elas acontecem.

Mas como?

Além de tomar medidas para planejar o futuro e antecipar "ses", Bregman incentiva as pessoas a uma pausa de quatro segundos antes de responder a alguma coisa para ter um momento para processar e refletir.

Dessa forma, você vai escolher as palavras de uma forma estratégica e intencional, evitando dizer algo que não tinha a intenção de falar.
5) Fazer mais com menos

    Nada nunca é prometido para amanhã hoje.

(Essa frase é de uma música do Kanye West, e eu a citei em um post de um blog de marketing).

O que interessa é que, em parte, para ser um funcionário notável, você deve ser capaz de se adaptar a qualquer mudança de setor ou empresa que venha a enfrentar.

Digamos que sua empresa tenha uma despesa não planejada ou que um membro importante da equipe peça duas semanas de folga inesperadamente. Certamente isso causaria um impacto no seu orçamento e no seu planejamento, não é?

Apesar de muitas pessoas tenderem a usar esses acontecimentos como desculpas para não cumprir seus objetivos, as pessoas bem-sucedidas encontram um jeito de fazer mais com menos. E as pessoas muito bem-sucedidas encontram uma maneira de fazer melhor ainda com menos.

Sendo assim, quando problemas de orçamento forçarem você a fazer cortes nas despesas com a contratação de freelancers, não use isso como desculpa para atrasar a produção de conteúdo. Em vez disso, considere o que você pode fazer para contornar a situação.

Talvez possa criar um ebook consistente que depois poderá ser dividido em artigos de blog separados para ajudá-lo a cumprir o calendário de conteúdo até o orçamento ficar novamente disponível. Ou que tal propor a um parceiro de comarketing unir forças para escrever algo juntos, do qual os dois tirem proveito?

Outra forma fantástica de demonstrar sua capacidade de fazer mais com menos é rever o tempo médio das suas reuniões. De acordo com a Atlassian, uma pessoa gasta em média 31 horas em reuniões no decorrer de um mês.

O problema de fazer mais com menos é que muitas vezes as pessoas pensam que a solução é trabalhar por mais tempo. Mas é só administrar melhor o uso do tempo. Se você reduzir o tempo das reuniões, será obrigado a ir direto ao assunto e sair com tempo de sobra para alocar em outros projetos e tarefas. Ou, se escrever um ebook com o objetivo de usar partes dele em diversos posts de um blog, terá conteúdo em um ritmo mais rápido.

Lembre-se: não são as desculpas que levam sua carreira a progredir, mas sim as soluções.
6) Receber bem o feedback

Para progredir na carreira, é importante ter humildade e admitir que você não sabe tudo.

Qualquer pessoa que tenha trabalhado em um projeto de longo prazo sabe que é muito fácil se envolver a ponto de começar a ver o seu progresso com as lentes cor-de-rosa do otimismo. Nesse momento, é mais útil convidar uma pessoa de fora para dar palpites sobre sua abordagem.

O que está funcionando? O que está faltando? O que é necessário para que esse projeto deixe de ser bom e passe a ser excelente?

De acordo com uma pesquisa da Social and Personality Psychology Compass, tanto o feedback positivo quanto o negativo têm um papel fundamental na forma de abordar os objetivos.

Os dados dela sugerem que a influência do feedback varia de acordo com a situação, dependendo muito do nível de expertise da pessoa envolvida. Os novatos costumam receber melhor o feedback positivo, pois estão mais preocupados com a avaliação de seu compromisso, enquanto os mais experientes respondem melhor ao feedback negativo, pois estão concentrados em monitorar o seu progresso.

Embora essas informações sejam interessantes, é importante se preparar para lidar com qualquer feedback. E apesar de ser mais fácil aceitar o feedback positivo, em geral o negativo é encarado como um desafio para muitas pessoas.

Para tirar o máximo proveito das críticas construtivas, anote estas dicas:

    Ouça. É muito fácil interpelar a uma pessoa quando ela está falando algo que não parece interessante para você, mas isso não leva a nada. Dê a ela o respeito que ela merece e ouça o que ela tem a dizer antes de interromper.
    Faça perguntas de esclarecimento. Se você não está entendendo o que a pessoa tem a dizer, não hesite em pedir esclarecimentos. Isso é importante para que vocês se entendam e não fique nenhuma dúvida.
    Considere a fonte. Os feedbacks não são criados da mesma maneira. Receber feedback honesto de um colega que conhece pouco sobre seu projeto pode ajudar você a identificar pontos fracos, mas é importante se concentrar no feedback que vem daqueles a quem você é subordinado. Em outras palavras, dê atenção àquilo que mais requer atenção.

7) Matenha-se atualizado

Hoje em dia o acesso a informação foi simplificado e as desculpas para não se manter atualizado acabaram. Existem diversos cursos online para que você aprenda no seu tempo livre, e muitos deles são gratuitos, portanto, nada melhor que mostrar novos conhecimentos e certificações para o seu chefe.

Se você é da área de marketing e vendas, já apresentamos 3 cursos grátis disponíveis em português que certamente irão impressionar seu gerente. Nós mesmos da HubSpot disponibilizamos a certificação de marketing digital que pode ajudar a levar sua carreria para outro nível.
8) Sorrir

Nenhum CEO quer entrar no escritório e se deparar com um grupo de pessoas que parece estar sofrendo em uma aula de história da faculdade. Isso é ruim para o moral da empresa e sinaliza que alguma coisa pode estar errada.

Por isso, é importante manter o otimismo, não importa a situação.

Por quê?

Uma pesquisa recente do National Bureau of Economic Research revelou que vale a pena ser positivo. Literalmente.

De acordo com eles, estudantes de um MBA que eram otimistas tinham mais facilidade de encontrar trabalho que seus colegas. Além disso, eles apresentavam probabilidade de 5 a 10% mais alta de serem promovidos que os pessimistas.

Essa pesquisa defende a ideia de que o sucesso está vinculado à nossa capacidade de nos mantermos positivos, mesmo em tarefas chatas, como procurar emprego.

Fonte: HubSpot

Conheça Nossos Cursos